NÓS SOMOS A HISTÓRIA! – O massacre tricolor e o título Carioca de 1936 em cima do Fla

Hércules e Russo marcaram na goleada da Máquina que conquistou 5 títulos em 6 anos para as Laranjeiras

O título carioca de 1936 foi o marco inaugural de uma era de ouro para o Fluminense Football Club após 12 anos distante das grandes conquistas, velhas companheiras de rotina.

Após empreender grandes esforços na construção do estádio das Laranjeiras para sediar e patrocinar grandes eventos esportivos internacionais, entre o final da segunda década e o início da década de 20, o Flu passou anos de contenção e de jejum.

Em 1936, o clube decidiu que era hora de voltar à velha rotina e investiu na formação de um grande time. A cereja do bolo era o meia Romeu, contratado ao Palmeiras, dono de habilidade e talento ímpares. A conquista de 1936 foi a primeira de uma sequência. Primeiro, foi o tricampeonato (1935, 1937, 1938). Depois de um intervalo, veio o bicampeonato (1940, 1941).

O Flu ganhou, ainda, o Torneio Extra, um campeonato especial, em 1941, podendo-se dizer que foi campeão carioca duas vezes no mesmo ano. Em 1938, o Pó-de-Arroz ganhou , ainda, o Torneio Municipal.

 

Os três trabalhos de Hércules

O campeonato de 1936 foi dividido em duas versões, devido a mais um entre muitos desentendimentos entre os clubes. Fluminense, Flamengo e América disputaram o campeonato da LCF (Liga Carioca de Futebol). Os seis participantes se enfrentaram três vezes cada um. Flamengo, Fluminense e América produziram um final emocionante.

Na última rodada, Fla e Flu lideravam o campeonato com 20 pontos cada. O América seguia na cola, com 19 pontos. O problema do América é que o Flamengo enfrentaria o fraco Jequiá na rodada derradeira. O jogo terminou em goleada rubro-negra por 8 a 1. Desse modo, só o Fluminense poderia igualá-lo nos 23 pontos. No domingo, 6 de dezembro, o Tricolor derrotou  o América por 4 a 2, provocando decisão extra com o Urubu.

A decisão seria disputada em melhor de três partidas. Na primeira, a briga dos Irmãos Karamazov terminou empatada em 2 a 2. Russo e Hércules (que marcou nos três jogos), pontuaram para o Flu, enquanto Leônidas da Silva e Jarbas marcaram para o Fla.

 

Foto: Hércules, artilheiro do Flu e do campeonato

Sete dias depois, os rivais voltariam a empatar em 1 a 1, com Hércules marcando para o Flu e Leônidas para o Fla, mas dessa vez o resultado proporcionava ao Maior Clube do Brasil o direito de levantar a taça.

 

A goleada que deu ao título ao Tricolor

Entre os dois domingos, o Rio de Janeiro presenciara uma dessas quartas-feiras mágicas. Era o tempo em que Fla-Flu ainda era disputado no estádio das Laranjeiras. Foi lá que Russo abriu a contagem logo aos 15 minutos, mas, como era Fla-Flu, Engel empataria para o Fla dois minutos depois.

O gol rubro-negro seria o último, o do Fluminense não, mas foi preciso esperar. O segundo só veio aos 15 minutos da etapa final, marcado mais uma vez por Russo. Dois minutos depois, Hércules  assinalou o terceiro.

O pesadelo rubro-negro se tornaria ainda pior. Aos 37 minutos, Hércules, que seria o artilheiro do campeonato, marcou o quarto. Foi aquela goleada que pavimentou o caminho para o primeiro título do tricampeonato, mais um na história do poderoso Fluminense Football Club.

O Tricolor formou com: Batatais; Marcial, Guimarães, Machado e Orozimbo; Brant; Mendes, Lara, Russo, Romeu e Hércules.

Marcelo Savioli às 16:27
2019-03-26T18:04:20+00:00 março 26th, 2019|

Deixar Um Comentário