Jovens talentosos, elenco recomposto e coringas são os trunfos do Flu para o segundo semestre

Diniz espera rápida definição do elenco para preparar o Tricolor para decolar no restante da temporada

O Fluminense terminou o primeiro semestre com duas competições em curso. O Tricolor disputa o Campeonato Brasileiro, que foi paralisado na nona rodada, e a Copa Sul-Americana. Na competição continental, faz o clássico com o Peñarol pelas oitavas de final. Serão mais oito jogos até a final. O elenco tricolor está de férias e só retorna na segunda-feira, dia 24 de junho, para uma temporada de preparação.

O técnico Fernando Diniz espera contar com um elenco reforçado em relação ao que tinha em mãos nas últimas partidas. Pedro, que raras vezes jogou pelo time titular, sofreu uma lesão durante a final do Torneio de Toulon, mas, aparentemente, não é nada grave. Da mesma forma, espera-se a recuperação de Yony González, que sofreu um estiramento na coxa. Diniz aguarda, também, uma rápida definição da situação de Luciano, com quem pretende contar no segundo semestre.

O setor ofensivo tem sido problemático, sobretudo nas últimas semanas, devido às perdas constantes. O ataque tricolor, ao longo da temporada, vinha sendo formado por Luciano, Everaldo, que deixou o clube, e Yony González. Na partida contra a Chapecoense, o foi formado por três jovens: Marcos Paulo, Brenner e João Pedro.

– Os meninos são muito bons jogadores, vão evoluir cada vez mais. De onde eles estão, a tendência é só melhorar. São jogadores jovens. João Pedro já está mais jogado, conseguiu se virar melhor com a carga física do jogo. O Marcos Paulo estreou como titular, o Brenner fez o terceiro jogo só. Mediante o que aconteceu hoje, conseguiram fazer uma boa partida – analisou Diniz após o empate com a Chapecoense em Chapecó.

Só sobrou o Daniel

Não foi só o ataque que mudou. Dos jogadores que entraram em campo em Chapecó, somente Daniel era titular no início da temporada. O time base do Fluminense no início era formado por: Rodolfo; Gilberto, Digão, Ibañez (Matheus Ferraz) e Mascarenhas; Aírton, Bruno Silva e Daniel; Luciano, Everaldo e Yony González. O excesso de mudanças é uma das principais razões para a oscilação do Tricolor na temporada.

– Estamos mexendo muito no time e isso dificulta. Não tem solução mágica. Após a janela, saberemos o time que vai continuar com a gente. Essa parada vai ser muito bem-vinda. Vamos ver quem mais vai sair de imediato para ter um time com menos mudanças. O time tem que continuar jogando bem. Temos tentado acertar, mas toda hora está mudando a equipe. Precisa de padrão, principalmente no terço final. Precisa de entrosamento, de jogada de profundidade. Isso acaba dificultando um aprimoramento na parte final, mas é continuar trabalhando em todas as frentes.

Reforços para o segundo semestre

As perdas acumuladas para o restante da temporada, além de Ibañez, que deixou o clube logo no início, são Matheus Ferraz, que não deve voltar a atuar em 2019 e Everaldo. Léo Santos ainda deve levar um tempo para se recuperar de uma cirurgia. Apesar das baixas, Diniz ganhará alguns reforços para o segundo semestre, enquanto poderá consolidar os jovens talentosos que ganharam espaço no elenco.

Leia também: Walter pode abrir temporada de contratações do Flu para o segundo semestre

Aírton, Bruno Silva e Digão deverão ter condições de jogo logo no início da segunda metade do ano, assim como Gilberto. Pedro, por sua vez, poderá passar por uma temporada de treinos. João Pedro, como afirmou o treinador, é o melhor adaptado entre os jovens e pode continuar como titular. Diniz precisará trabalhar melhor outros jovens talentosos, como Marcos Paulo, Brenner, Miguel Silveira, o zagueiro Luan, Caio e Zé Ricardo.

– A fratura do Digão já está em processo avançado de recuperação. O Digão faz falta não só dentro do campo, mas fora também. É uma das lideranças da equipe, tem uma identificação com o torcedor. Acho que na volta a gente vai conseguir ter o elenco um pouco mais robusto e espero que no segundo semestre não tenha tantos acidentes.

Coringas estão entre os trunfos do Flu para o segundo semestre

Apesar de todos os problemas, Diniz tem alguns trunfos para o segundo semestre. Pedro deve evoluir e ganhar melhor condicionamento, voltando a ser o grande artilheiro do Flu. Jovens como Marcos Paulo, Brenner e Miguel Silveira podem ampliar a qualidade do elenco. O jovem Miguel pode ser uma importante peça de reposição para o setor mais produtivo da equipe. Allan, Daniel e Paulo Henrique Ganso têm sido o ponto forte da equipe, mas Diniz precisa de peças para substituí-los. Léo Artur e Miguel, além de Caio Henrique, são os que possuem as melhores característicos para manter o nível de produção do setor.

Leia também: Fluminense terá tabela bastante favorável até o final do turno do Brasileirão

Caio Henrique, aliás, é um dos traços de um dos principais trunfos do Flu para o segundo semestre, que são os coringas. Atualmente na lateral-esquerda, pode ter bom desempenho como volante ou meia de criação. Yuri, volante de origem, fez um grande Fla-Flu atuando como zagueiro. Daniel, que vem formando dupla de criação com Ganso, já mostrou que pode desempenhar a função de Allan. Marcos Paulo atua como meia e como atacante. Pablo Dyego, que nas poucas vezes que entrou atuou como atacante, tem experiência atuando na lateral direita.

Seja sócio futebol e obtenha até 100% de desconto na bilheteria em todos os jogos do Flu como mandante. Nossa hora é agora. Clique aqui e faça já o seu plano!

Marcelo Savioli às 07:06

 

2019-06-18T17:18:22+00:00 junho 17th, 2019|

Um Comentário

  1. Paulo Gustavo
    Custodio Nascimento Gomes Vieira 17 de junho de 2019 em 21:01- Responder

    Boa noite o elenco do fluminense é muito bom mas pressisa de camtrata um goleiro melhor

Deixar Um Comentário