“Foram os melhores 45 minutos do ano”, reconhece Diniz

Treinador não gostou, no entanto, da perda de ritmo e intensidade na segunda etapa

O Santa Cruz viveu 45 minutos de pesadelo. O Fluminense não tirava o pé do acelerador. Desarmava, envolvia, criava e aterrorizava o goleiro Anderson. Em nenhum momento, a equipe de Diniz perdia a concentração e a pegada.

Foram os melhores 45 minutos do ano. Marcamos forte e o Santa Cruz não teve chances. Tivemos a marcação muito ajustada. Acho que foi a melhor atuação”, falou o treinador sobre o intenso e autoritário primeiro tempo tricolor.

Diniz só não entendeu por que o Fluminense não conseguiu manter o ritmo na segunda etapa.

O time jogou muito bem no primeiro tempo. A vantagem poderia ter sido maior. Fizemos dois gols, o que não é para se desconsiderar, mas teve uma queda de rendimento no segundo tempo que não teve razão. Deveríamos ter continuado a pressionar.”

Substituições em sequência atrapalharam o desempenho

A melhor explicação para a queda de rendimento, ainda que o time tenha passado longe de atuar mal na segunda etapa, foram as trocas em sequência logo no início dos 45 minutos finais.

Quando o time tem aquele tipo de volume, é por conta de treinamento. É normal cair com tantas ausências. Os jogadores estavam bem, com movimentos sincronizados. Acho que caímos mais do que deveríamos”, voltou a reclamar o treinador.

Diniz terá uma semana para preparar o Flu para uma sequência de dois jogos em quatro dias. Na próxima quinta, dia 25, enfrenta o Santa Cruz no Arruda, na partida de volta da quarta fase da Copa do Brasil. No domingo, dia 28, enfrenta o Goiás no Maracanã na partida de estreia do Campeonato Brasileiro.

Siga o melhor site de notícias do Fluminense por meio da nossa página no Facebook

Por: Marcelo Savioli às 15:30
Foto: Lucas Merçon (Fluminense Football Club)
2019-04-19T10:54:25+00:00 abril 18th, 2019|

Deixar Um Comentário