Fluminense 1x 2 Flamengo – Marcelo de Lima Henrique coloca Fla na final

Em jogo em que o VAR acertou tudo, árbitro decide para o Fla

A rotina se repete. Coube a Marcelo de Lima Henrique garantir a vaga do Flamengo na final da Taça Rio, já nos acréscimos, marcando pênalti inexistente, sem qualquer interferência do VAR.

O recurso tecnológico auxiliara o árbitro, de forma positiva, nos dois lances polêmicos do jogo. No primeiro, anulou o gol do Fluminense no início do primeiro tempo, achando falta de Matheus Ferraz no defensor rubro-negro. No segundo tempo, encontrou pênalti, existente, em Everaldo.

Quando o Fluminense parecia garantir o empate, que lhe daria a classificação, Marcelo de Lima Henrique, sempre ele, achou pênalti inexistente a favor do Flamengo, já nos acréscimos, definindo o duelo para o Urubu, que comemorou mais uma vitória roubada.

Primeiro tempo muito louco

Mal começou o jogo, o Fluminense foi para cima do Flamengo como um predador atrás da caça. Logo aos 2 minutos, em posição legal, Leo Santos mandou para o barbante, mas, após cinco minutos buscando uma irregularidade no lance, o VAR achou uma falta, que aconteceu, de Matheus Ferraz em Rodrigo Caio.

O lance desestabilizou o time do Fluminense por todo primeiro tempo. Aos 7 minutos, a defes a falhou na saída de bola e Uribe bateu fraco para Rodolfo defender. Sem grandes lances, o jogo transcorreu até os 30 minutos, quando Renê aproveitou rebote da defesa tricolor e bateu seco, acertando o canto esquerdo e abrindo o placar.

O Fluminense não criava oportunidades, o Flamengo, sim. Aos 40 minutos, Bruno Henrique cabeceou e obrigou Rodolfo a fazer defesa espetacular. Dois minutos depois, Gilberto errou o passe e colocou Uribe na cara do gol, mas Rodolfo defendeu com o pé. Passaram-se mais quatro minutos até que Airton saiu machucado, dando lugar a Allan.

Foram seis minutos de acréscimos. Quando parecia que nada mais aconteceria, Bruno Henrique, numa disputa casual, deixou a sola na coxa de Gilberto e foi expulso direto, abrindo a expectativa de um segundo tempo eletrizante.

Roubado de novo

VAR de um lado, VAR do outro. Aos 13 minutos do segundo tempo, Everaldo fez jogada individual, sendo derrubado na área. Marcelo de Lima Henrique nada marcou, mas o VAR, sim. Yoni Gonzalez cobrou e tirou Diego Alves da foto, empatando.

O Flamengo não se intimidou e o jogo ficou aberto. Lucas Silva, que entrara no lugar de Vitinho, obrigou Rodolfo a bater roupa aos 27 minutos.  Mesmo com um a menos, o Flamengo foi para o ataque em busca da vitória e o Fluminense não conseguia se impor no jogo.

Aos 36 minutos, foi a vez de Yoni Gonçado mandar a bola no travessão. Na sequência, Luciano mandou para o barbante, mas a arbitragem assinalou impedimento. O Flamengo continuou atacando, mas foi o Fluminense quem quase marcou no contragolpe.

Porém, aos 48 minutos, Marcelo de Lima Henrique marcou pênalti inexistente de Léo Santos em Lucas Silva. Everton Ribeiro tirou Rodolfo da foto e tirou o Flu da final da Taça Rio. Para completar, Ganso ainda foi expulso por reclamar do lance escandaloso.

 

Por Marcelo Savioli às 23:46

2019-03-28T12:17:46+00:00 março 27th, 2019|

Deixar Um Comentário