Estilo europeu, liderança e muitos desfalques no adversário do Flu nesse domingo

Marcelo Oliveira analisa estilo de jogo do rival no clássico desse domingo
O Fluminense enfrenta o São Paulo, líder do Campeonato Brasileiro, na tarde desse domingo no Morumbi, partida para a qual mais de 45 mil ingressos já foram vendidos.
O São Paulo aparece como verdadeira surpresa na atual temporada, a começar pelo início apagado. Contudo, no decorrer do Campeonato Brasileiro, a equipe de Diego Aguirre conseguiu encontrar um caminho tático, que tem como uma de suas principais características a rápida recomposição sem a bola.

Marcelo Oliveira, técnico do Fluminense, analisou o futebol praticado pelo rival desse domingo, que, para muitos, lembra o conceito de jogo do Atlético de Madrid, de Diego Simeone.
– O trabalho do Aguirre é muito bem feito. O São Paulo mudou não finaliza tanto, mas é preciso. Usa muito a bola aérea lateral, recompõe rápido e marca com muitos. É um time bem equilibrado. Esse equilíbrio o levou a essa posição – analisou Oliveira.
Modelo de trabalho europeu
As vitórias do São Paulo podem até ser produzidas com dificuldade, mas elas sempre acabam acontecendo, como no duelo contra o Ceará no último domingo, decido com gol de Bruno Peres, que deve ser titular na partida desse domingo.
Bruno Peres passou cinco anos na Europa e está emprestado ao São Paulo pela Roma, o que lhe confere alguma autoridade para fazer comparações.
– O trabalho que ele faz é muito parecido com o que eu vi lá fora, que privilegia a parte tática, algo que não é muito comum no Brasil. O Aguirre me surpreendeu bastante de uma forma positiva. Já tinham me falado bem dele, que estava usando um sistema diferente. Tive o privilégio de chegar e ver de perto o que me falaram. Tem tudo para se tornar um treinador ainda mais importante do que já é.
Confira aqui todas as notícias do Fluminense sobre futebol
Verdade seja dita, o São Paulo não é encantador, mas eficaz. Domingo, será a vez de Aguirre mostrar seus poderes para contornar uma lista de desfalques, que inclui nomes como Hudson, Juciley, Nenê e Éverton. Pelo menos, o treinador são paulino já está acostumado a fazer rodízio no elenco.
– Lá fora é normal. Tem esse rodízio, essa troca. É algo que o futebol brasileiro tem de se acostumar. A rapaziada tem aceitado isso aqui e tem feito a diferença – analisou Bruno Peres.
2019-02-27T13:08:38+00:00 setembro 1st, 2018|

Deixar Um Comentário