Diniz critica VAR e arbitragem eternamente tendenciosa contra o Flu

“Vai colocar o braço na cintura com esparadrapo?”

Embora não devesse, a torcida do Fluminense já se acostumou com a dura rotina de atuar contra a arbitragem em competições nacionais. É algo que talvez deva ser explicado. A chamada “voz do além”, sempre contra o Tricolor, com a institucionalização do VAR, apenas ganhou uma roupagem de formalidade. 

Foi o que aconteceu na noite de ontem na Fonte Nova. O Fluminense, perdendo de 2 a 1, pressionava o Bahia no início da segunda etapa, quando o VAR interferiu numa jogada insólita, sugerindo pênalti de Gilberto, que disputava jogada pelo alto com o atacante do Bahia. Um simples toque da bola no cotovelo do lateral tricolor foi suficiente para que se assinalasse um pênalti, absurdamente inexistente, que influenciou, como em outras ocasiões, no resultado da partida. 

Além do terceiro gol do Bahia, o Fluminense ainda perdeu Agenor, expulso, por ter defendido a primeira cobrança do atacante do Bahia de forma irregular. No lance anterior, Pedro ainda sofrera falta clara, ignorada pela arbitragem, só que sem ajuda do VAR. Tudo isso irritou profundamente o técnico Fernando Diniz, que já percebeu a dureza que é comandar o Fluminense contra tudo e contra todos.

– No lance do pênalti, o juiz entendeu que foi pênalti. Além do lance, a gente teve uma palestra da CBF. Não sei onde o Gilberto poderia estar com o braço para disputar a bola aí. Vai colocar o braço na cintura com esparadrapo? Não tinha onde colocar a mão – reclamou o melhor técnico do Brasil.

Relação de intimidação

Diniz falou sobre a falta em Pedro e reclamou da forma como a CBF tenta inibir, de forma autoritária, qualquer reclamação que exponha situações extravagantes como a ocorrida na Fonte Nova.

– A origem do gol nesse pênalti foi uma falta claríssima. Foi minha única reclamação no jogo e o árbitro me deu amarelo. Não sei que relação o treinador tem que ter com arbitragem. Minha relação com quarto árbitro foi ótima o jogo inteiro. No lance na minha frente eu questionei que teve falta claríssima no Pedro antes. Agora com essa nova regra de cartão amarelo e cartão vermelho não tem mais conversa. Vamos ter que nos acostumar com isso. Eu disse que foi falta clara no Pedro. E nessa falta gerou o gol do Bahia. Se a relação do árbitro com a os treinadores for essa, vai muita gente expulsa. Não teve desrespeito. Só falei que o amarelo foi totalmente exagerado.

Leia também: QUANTO VALE O SHOW??? Bahia 3×2 Fluminense

A verdade é que nada mudará enquanto o Brasil não se inserir no mundo civilizado do futebol, com a criação de uma liga nacional de clubes em que o interesse a ser defendido seja o interesse comum, onde o foco seja o espírito desportivo, algo que definitivamente passa longe da mentalidade comum do brasileiro. No Brasil, dizer que “roubado é mais gostoso” não dá sequer reprimenda, mas se opor a isso é muito perigoso.

Seja sócio futebol e obtenha até 100% de desconto na bilheteria em todos os jogos do Flu como mandante. Nossa hora é agora. Clique aqui e faça já o seu plano!

Marcelo Savioli às 23:05

Foto: Lucas Merçon (Fluminense Football Club)

 

 

2019-05-26T23:11:24+00:00 maio 26th, 2019|

Um Comentário

  1. Paulo Gustavo
    Roque 29 de maio de 2019 em 06:57- Responder

    Meu comentário e que eles não gosta do bom futebol e fará tudo para prejudicar o time do Fluminense POIS está na mão desta emissora tendenciosa

Deixar Um Comentário