Diniz conclui preparação para Fluminense e Botafogo exalando mistério

Entenda quais são as escolhas de Diniz e as possibilidades individuais e táticas para o clássico

A perda de Aírton e Bruno Silva, a volta de Ganso aos treinos, a chegada de Yuri ao elenco e o progresso físico de Pedro serviram, no mínimo, para Fernando Diniz dar um nó na cabeça de Eduardo Barroca, técnico do Botafogo. O treinador do Flu leva para o clássico entre Fluminense e Botafogo, pelo menos três incógnitas, todas entre o meio e o ataque.

Do goleiro à lateral esquerda, o time será o mesmo. Allan deve fazer o papel de Aírton, jogando mais entre os zagueiros na transição ofensiva, repetindo o segundo tempo de Fluminense e Grêmio. As dúvidas começam na escolha de quem será o outro volante. Quatro nomes candidatam-se à posição: Luiz Fernando, Zé Ricardo, Caio e Yuri. O último deles chegou essa semana ao clube, mas já vem treinando e está regularizado.

– Vi que ele marca bastante, tem bom passe. Espero que chegue para nos ajudar. Que seja bem-vindo e que, se for amanhã, faça uma boa estreia – falou Luciano em entrevista coletiva agora há pouco, dando uma pista sobre a escolha de Diniz.

Defesa no 4-4-2, ataque no 3-1-4-2

Não se deve desprezar, todavia, a possibilidade de Diniz recuar Daniel para a função, que já exercia no começo do ano. A princípio, o papel de Daniel é o mesmo que exerceu na segunda etapa do melhor jogo do ano, na virada sensacional sobre o Grêmio. Outro nome certo é Luciano, que atuará como uma das peças da dupla de atacantes ou por trás desta, mais próximo ao meio de campo.

Leia também: Botafogo, de Eduardo Barroca, tentará espelhar Fluminense de Fernando Diniz

Sobram, então, mais duas posições entre o meio e o ataque. Aparentemente, essas serão disputadas por Pedro, Yony González, Ganso e Guilherme. Caso Daniel seja recuado para fazer o segundo volante, abre-se mais uma vaga no meio. Nesse caso, até Léo Artur, jogador mais dinâmico, entra na briga. A ideia até parece razoável, uma vez que permitiria a Diniz ter em campo Pedro e Yony, sem o qual o Fluminense perde velocidade e dinamismo no ataque. Nesse caso, Luciano jogaria por trás dos atacantes, cabendo a Ganso e Guilherme disputarem a última vaga no meio.

Leia também: Flu cumpre meta no mercado e competição no meio de campo será acirrada

O que parece certo é que o Flu defenderá no 4-4-2 e atacará no 3-1-4-2, independente de qual seja a formação. Foi essa a receita que levou o Tricolor à grande vitória do último domingo na Arena do Grêmio. Fluminense e Botafogo se enfrentarão pela segunda vez no ano. A partida entrou com empate em 1 a 1.

 

Seja sócio futebol e obtenha até 100% de desconto na bilheteria em todos os jogos do Flu como mandante. Nossa hora é agora. Clique aqui e faça já o seu plano!

Por: Marcelo Savioli às 13:29
Fotos: Lucas Merçon (Fluminense Football Club)
2019-05-10T23:07:08+00:00 maio 10th, 2019|

2 Comentários

  1. Paulo Gustavo
    Cézar 10 de maio de 2019 em 16:06- Responder

    Vou de Rofolfo,Gilberto,Nino,Matheus Ferraz e caio Henrique,Yuri,Allan e Ganso,Luciano, Yony, e Pedro.

  2. Paulo Gustavo
    RALPH DE SOUZA FILHO 10 de maio de 2019 em 21:12- Responder

    MISTÉRIO SOMENTE ATRAPALHA. MIRE – SE NO EXEMPLO DO JOÃO SALDANHA QUE AO CONVOCAR SUA SELEÇÃO NA GRAÇA DO PÚBLICO MAIS CONHECIDA COMO AS FERAS DO SALDANHA A ESCALARA COM TODOS SEUS TITULARES E RESERVAS NO ATO..NÃO FIQUE A TENTAR REINVENTAR A RODA..

Deixar Um Comentário