Botafogo, de Eduardo Barroca, tentará espelhar Fluminense de Fernando Diniz

Marcação pressão e posse de bola são os paradigmas do técnico do Botafogo, que tem bons indicadores em posse de bola e desarmes

Se alguém espera um Botafogo retraído, jogando atrás da linha da bola, diante do Fluminense tende a ter uma surpresa. A verdade é que o Botafogo, de Eduardo Barroca, tem, ou busca ter, um estilo de jogo parecido com o do Prêmio Nobel do Esporte.

É bem verdade que, diante do Fortaleza, na terceira rodada, mesmo jogando no Engenhão, o Botafogo teve sérias dificuldades na vitória de 1 a 0, tendo sido pressionado pelo adversário. Há uma explicação para isso, pelo menos na opinião do goleiro Gatito Fernández.

– O Fluminense vem trabalhando há mais tempo com o Diniz, mas nós já estamos entendendo bem o Barroca. Vamos tentar ficar com a posse de bola, mas ter mais objetivo, buscar o rival, finalizar mais. Estamos no caminho certo. Os dois times vão procurar a posse. Temos que tentar recuperar a bola o mais rápido quando perdermos e conseguir fazer nosso jogo – falou o goleiro Gatito Fernández.

“Deu para perceber que tem uma mentalidade diferente

Posse de bola e pressão para recuperar a bola. Lembra Diniz, mas é também o estilo que Eduardo Barroca tenta implantar no Glorioso.

“O Botafogo tem condições de ser protagonista na maior parte dos jogos, pressionando o rival e buscando ter a posse de bola. Com a bola, podemos criar espaços e construir as vitórias”, afirmou o treinador alvinegro logo quando assumiu o comando técnico, mostrando que realmente tem ideias parecidas com as de Diniz.

Leia também: Fluminense e Botafogo! Começa nesta quarta a venda de ingressos nos pontos físicos

“Deu para perceber que tem uma mentalidade diferente dos outros. Já deu para pegar a ideia do que o Barroca quer: jogar com a bola, sem muito chutão. É o que o jogador gosta, não correr atrás do adversário. Se tem uma coisa boa desse tempo parado é que deu para treinar bastante e conhecer o Barroca”, declarou o meia Gustavo Ferrareis antes da estreia alvinegra no Brasileirão.

Barroca comandou o Botafogo na conquista do Brasileiro Sub-20

Apesar da preferência pelo estilo à Guardiola, Barroca tem ideias flexíveis sobre futebol. Na visão do treinador alvinegro, o mais importante é ter o controle do jogo, mesmo que sem a posse de bola. Criar mais chances de gol que o adversário é um indicador de que seu time teve o controle da partida.

É bom prestar atenção ao trabalho do treinador alvinegro. Eduardo Barroca, que assumiu o comando técnico após a demissão de Zé Ricardo, em abril, levou o Botafogo a ter protagonismo no Sub-20, desbancando a famosa escola de Xerém no Rio de Janeiro e conquistando o Campeonato Brasileiro Sub-20, muitas vezes sem ter mais posse de bola, porém superando os adversários com a criação de mais oportunidades de gol.

Curiosamente, o Sub-20 de 2016 tinha um estilo intenso, parecido com o do Flamengo, de Zé Ricardo, o mesmo que acabou demitido para que Eduardo Barroca assumisse. Mas é melhor se preparar muito, porque tem Fluzão pela frente no sábado, às 16h, no Maracanã.

Seja sócio futebol e obtenha até 100% de desconto na bilheteria em todos os jogos do Flu como mandante. Nossa hora é agora. Clique aqui e faça já o seu plano!

Marcelo Savioli às 07:12
Foto: Vitor Silva (Botafogo F.R.)
2019-05-09T21:55:07+00:00 maio 10th, 2019|

Deixar Um Comentário